sábado, 27 de dezembro de 2008

Ditado poppular

quem tem boca...

Férias...

Férias são férias...
E vice-versa...lol

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Café Cristão

com novos dinamismos o Café Cristão da Amora, primeiro do género em Portugal preparou um programa de actividades com o intuito de dinamizar este espaço, de promover o encontro entre jovens e adultos de toda a Diocese de Setúbal.Para os dias 13 e 20 de Dezembro estão agendadas noites festivas com muita música e alegria. No dia 13 actua a banda “Luz Jovem”, de Corroios, caracterizada pela sua alegria contagiante e no dia 20 a banda “Kyrios”, uma das pioneiras da música contemporânea cristã em Portugal.“No próximo ano pretende-se dinamizar ainda mais este espaço, através da criação de equipas que assegurem a programação de palco e o serviço às mesas”, refere comunicado enviado à Agência ECCLESIA.
Pelo palco do Café Cristão, já passaram bandas referenciadas com diversas áreas musicais: rock, pop-rock, rap, hip-hop, jazz, etc.
Em torno das suas mesas planeiam-se trabalhos apostólicos: visitas às ruas onde tantos jovens em risco aguardam uma mão amiga, visitas às prisões, compromissos com os pobres, visitas aos doentes, seminários de Vida Nova e inter-relacionamento com as escolas. Com uma área de 400 m2, o Café Cristão da Amora dispõe de um salão principal com palco; uma capela onde é possível encontrar o sacerdote para o sacramento da Reconciliação; uma zona de bar com biblioteca; dois gabinetes de apoio e um espaço para crianças, o que permite aos pais participarem mais descontraidamente nas actividades.
in paroquias.org



domingo, 14 de dezembro de 2008

Necessidade de renovação?

Não é preciso filosofia nem nada disso....
Basta olhar para as plantas,,,
PE. Silva Silveira

A propósito do domingo da alegria...

Há pessoas que não devem colocar açucar no pequeno almoço....
Pe. Silva Silveira

Espiritualidade focolar V

O coração do Evangelho: “Amai-vos como eu vos amei”
O refúgio onde nos abrigamos não é seguro. Estamos sempre diante da morte. Uma outra pergunta nos invade: mas existirá uma vontade de Deus que lhe agrade particularmente? Se morrêssemos queríamos ter colocado em prática justamente aquela, pelo menos nos últimos instantes.
O Evangelho fala de um mandamento novo, que Jesus considera seu: “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos” (Jo 15,12-13). Olhamos umas para as outras – éramos seis ou sete moças – e nos declaramos: “Eu estou pronta a morrer por você”. “Eu estou pronta a morrer por você”. “Eu estou pronta a morrer por você”. Ainda que não nos fosse pedida a vida física, devíamos estar sempre dispostas a morrer, de certo modo anulando-nos espiritualmente diante das irmãs e dos irmãos. A fim de poder compreendê-los e amá-los, partilhando tudo: os poucos bens materiais e os bens espirituais. Foi um pacto solene. Será o alicerce sobre o qual o Movimento inteiro se apoiará.
.................
Uma Presença que traz luz, alegria, amor...
Mas, uma vez que o amor mútuo é atuado, a nossa vida interior dá um salto de qualidade, percebemos uma nova segurança, uma vontade mais decidida, uma alegria e uma paz que jamais havíamos experimentado, uma plenitude de vida, uma luz abundante. Por que isso acontece? O Evangelho nos responde: “Onde dois ou três estão reunidos no meu nome – isto é, no seu amor, como afirmam os Padres da Igreja – eu estou no meio deles” (Mt 18,20). Portanto, silenciosamente Jesus tinha se introduzido no nosso grupo, como um irmão invisível! Jamais queremos perdê-lo.
Mais tarde, muito mais tarde, entenderemos: esta é uma reprodução, em germe e sui generis, da casinha de Nazaré. Uma convivência original, de virgens e casados com Jesus entre eles: o focolare. Mas para tê-lo sempre conosco é preciso estar sempre dispostas a amar, até o ponto de morrer umas pelas outras. Se estamos unidas dessa maneira Jesus está espiritualmente e plenamente presente entre nós. Desde então nos empenhamos em renovar sempre o pacto do amor recíproco, de modo a “gerar” – como afirmou Papa Paulo VI – Jesus entre nós. Este é o compromisso constante de todos aqueles que vivem no Movimento.

sábado, 13 de dezembro de 2008

Pastoral da saúde

O Sr. Doutor João Duque, um dos teólogos mais importantes do nosso Portugal, dizia que ninguém devia ser ordenado padre sem passar um mês nos cuidados intensivos a acompanhar as pessoas e famílias que por ali passam.
É uma opinião!
Até lá, vamos conhecendo idosos e doentes que nos vão possibilitando o conhecimento e a vivência destas fases da nossa vida.
Hoje, a seguir à Eucaristia tive oportunidade de participar numa visita a uma doente, a sr.a Alda, que está à 4 anos numa cama. Juntamente com ela estavam duas senhoras…
Visitar doentes é, de facto, uma das missões mais importantes do cristão, sobretudo do ministro extraordinário da comunhão, do acólito e do sacerdote.
É reconfortante… é necessária uma grande preparação…mas com a experiência vamos evoluindo…
Nunca estaremos preparados… mas temos de ter sempre esta preocupação… Fazemos falta às pessoas, elas precisam de nós… e nós tb precisamos deles…

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Ser presente

Quem se lembraria de felicitar os sr.s padres no dia da sua ordenação, no domingo do bom pastor ou até desejar-lhe um bom Natal e um bom aniversário? Pois bem, um grupo de jovens da Póvoa do Varzim, intitulado “Jovens de Cristo sentido único” tem a preocupação e a boa vontade de recordar este momentos enviando postais personalizados a muitos padres, de todas as dioceses. Não sei se a todos, se apenas aos mais jovens, mas mesmo assim não deixa de ser uma atitude de enaltecer. Este carinho dos jovens será certamente um bálsamo para os sr.s padres. Sabermos que alguém que não nos conhece reza por nós e reconhece a importância da nossa missão é reconfortante. A catolicidade da Igreja atinge aqui um momento enorme e belo! Isto tem ainda mais valor porque quem está mais próximo não se lembra… Quem está longe torna-se presente com este “miminho”.
E nós? que fazemos? Lembramo-nos? Que mensagem de reconhecimento ou gratidão pelos padres que se dão totalmente e que não o fazem para receber agradecimentos, mas merecem a nossa recordação e oração. O postal é o símbolo, é o gesto, é o rosto, é a voz, é o sinal, é a presença na “solidão” de tantos sacerdotes, a visita aos mais abandonados.
Será difícil? Fácil? Caro? Valerá a pena?
Uma proposta…
Que tal o sexto ano ter esta preocupação e presentear assim os padres da nossa diocese? Há tnts razões para o fazer…

Espiritualidade focolar IV

Como responder ao Amor? Fazer a sua vontade
Os nossos pais fugiram para os vales. Nós ficamos em Trento, algumas por causa do trabalho, outras pelo estudo, e eu para acompanhar o Movimento que estava nascendo. Vamos morar em um apartamento com poucos cômodos, que nós chamamos de “casinha”.
Dia e noite é preciso correr para os refúgios anti-aéreos. Levamos conosco apenas o Evangelho. Encontramos o ideal pelo qual viver. Como responder ao seu amor?
O Evangelho responde: “Nem todo aquele que diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no reino dos céus, mas sim aquele que pratica a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt 7,21). Portanto, nada de pieguices ou sentimentalismo. O que importa é fazer a vontade de Deus. E todos podem vivê-la: é o cartão de acesso à santidade para as massas!
-------
O Evangelho: toda promessa se realiza
Há muito tempo eu já havia colocado os meus livros no sótão. Quando tinha 18 anos o meu único desejo era conhecer Deus. Amava profundamente a filosofia, mas os estudos da escola média não tinham saciado esta minha sede. Quando devia começar o curso superior pensava que se entrasse numa universidade católica talvez encontrasse alguém que me falasse de Deus e me ensinasse quem ele era. Por diversas circunstâncias não foi possível me inscrever nela e por isso chorei amargamente. Mas justamente naquele momento tive a impressão de que, no profundo da alma, alguém me dissesse: “Eu serei eu o seu mestre”.
Hoje, depois de muitos anos, posso afirmar que Aquele que falava foi fiel à sua promessa. E o fez enviando um dom de luz, um carisma do Espírito Santo que iluminou o Evangelho inteiro. Víamos as suas palavras fascinantes, majestosas. Podem ser traduzidas em vida, são luz para todo homem que vem a este mundo e, portanto, são universais. Se forem vividas tudo se transforma: o relacionamento com Deus, com os próximos, com os inimigos. Aquelas palavras dão o devido lugar a todos os valores e levam a deixar de lado tudo, até o pai, a mãe, os irmãos, o próprio trabalho... para colocar Deus no primeiro lugar no coração do homem.
As promessas do Evangelho são extraordinárias: cem vezes mais nesta vida e a vida eterna. Onde está a piedade de pescoço torto, a cantilena de orações vazias, a fé por hábito, o Deus inacessível? Não, esta não é a religião de Jesus. Ele age como Deus. Pelo pouco que damos, ele nos cumula de dons. Estamos sós e nos vemos circundadas por mil mães, mil pais, mil irmãos e irmãs, por uma infinidade de bens que podemos distribuir a quem nada tem. Não existe nenhuma situação humana que não encontre a resposta, explícita ou implícita, naquele pequeno livro que contém palavras de Deus.
Vivemos frases do Evangelho, com um sentido completo, uma de cada vez. Um dia lemos: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Mt 19,19). O próximo. Onde está o próximo? Nós o descobrimos perto de nós, em todas as pessoas atingidas pela guerra, sem roupas, sem casa, famintas e com sede.
“Tudo o que fizerdes ao menor dos meus irmãos é a mim que o fareis”. Em grandes panelas preparamos sopa para levar aos pobres. Muitas vezes eles batem à nossa porta e os convidamos a sentar conosco à mesa: um pobre e uma de nós, um pobre e uma de nós.
O Evangelho garante: “Pedi e recebereis”. Pedimos tudo o que é necessário. E em plena guerra chegam sacos de farinha, caixas de leite e mel, lenha, roupas, para todos os pobres da cidade.
Um dia encontro um pobre: “Preciso de um par de sapatos número 42”. Eu me pergunto: “Em plena guerra, onde vou encontrar um par de sapatos de homem, número 42?”. Passo diante da igreja de Santa Clara e entro, não há nada, apenas uma pequena luz que me diz que Jesus está ali. Digo-lhe: “Jesus, me dê um par de sapatos número 42, para você naquele pobre”. Saio da igreja e vem ao meu encontro uma senhora com um pacote nas mãos: “Chiara, é para os seus pobres”. É um par de sapatos número 42!
O Evangelho é verdadeiro! Esta constatação dá asas ao caminho que acabamos de iniciar. Queremos que o Evangelho seja a única regra do Movimento que está nascendo. O Espírito Santo nos impulsiona a partilhar entre nós as experiências que fazemos e a nossa alegria é imensa. Suscita curiosidade em tempos tão tristes. As novas e arrebatadoras experiências evangélicas passam de boca em boca. Como um eco das palavras dos apóstolos: Cristo ressuscitou. Aqui se proclama: Cristo está vivo!
Entre todas as palavras – a cada mês vivemos uma em especial – o carisma evidencia de modo especial as que se referem explicitamente ao amor evangélico para com o próximo. Um amor sempre novo: é dirigido a todos, pede que cada um tome a iniciativa, é concreto, reconhece e ama Jesus em cada próximo.
in focolare.org

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Espiritualidade focolar III

Deus é amor! A vida se transforma
1944. A guerra se abate sobre Trento. Destruição, ruínas, mortos. Os bombardeios continuam e com eles desaparecem aquelas coisas ou pessoas que constituíam o ideal dos nossos jovens corações. Uma de nós amava a própria casa e ela foi destruída. Uma outra esperava pelo dia de seu casamento, mas o noivo não retornou da guerra. O meu ideal era o estudo, a guerra me impede de freqüentar a universidade.
Cada acontecimento nos toca profundamente. A lição que Deus oferece por meio das circunstâncias é clara: tudo é vaidade das vaidades. Tudo passa. Aflora uma pergunta: existirá um ideal que não morre, que nenhuma bomba seja capaz de destruir? Sim, Deus. Em meio à destruição causada pela guerra, conseqüência do ódio, a luz do carisma nos leva a uma compreensão totalmente nova. Como se fosse a primeira vez ficamos extasiadas pela verdade sobre Deus: “Deus é amor” (1Jo 4,8): qualquer circunstância que nos atinge, seja ela alegre, triste ou indiferente, tudo nos parece uma expressão do seu amor. A alegria e a surpresa são tão grandes que não hesitamos em escolher a ele, exatamente a ele, Deus Amor, como ideal da nossa vida. E comunicamos logo, a quem está perto de nós – parentes, amigos – a nossa grande descoberta: “Deus é amor, Deus nos ama, Deus o ama!”.
in focolar.org

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

A importância de um curso

Hoje em Viseu....

Restaurante fecha por falta de licenceatura....lololol

P.S. (ainda n aderiram ao acordo de bolonha, senão ... fechava por falta de mestrado:-)

Q(m) faz um bispo dizer isto?

Bispo culpa restantes bispos pelo atraso da Igreja
A Igreja está "pejada de pagãos ou cristãos incoerentes" e a culpa é dos bispos que continuam clericalistas e individualistas, sem levar a sério a formação dos fiéis. A crítica é de D. António Marcelino, bispo resignatário de Aveiro. Os bispos reúnem-se hoje em Fátima, com a polémica no ar.Os bispos portugueses reúnem-se a partir de hoje, em Fátima, até dia 13, na habitual Assembleia-Plenário do Outono, sendo que desta vez a "apimentar" o encontro está um artigo do bispo resignatário de Aveiro, publicado recentemente na agência Ecclesia, em que culpa os seus colegas prelados pelo atraso da Igreja em Portugal, considerando-a longe dos desafios lançados pelo Concílio Vaticano II.D. António Marcelino ataca os seus colegas bispos, acusando-os de permanecerem clericalistas e individualistas. "Enquanto houver algum predomínio do clericalismo, aos diversos níveis, e do individualismo pastoral, que parece satisfazer cada um na autonomia do seu território, não será possível abrir caminhos novos", defende. Em seu entender, "a autonomia das dioceses, com as suas tradições, caminhada própria e perfil humano e social diferentes, tem dificultado sempre iniciativas comuns necessárias em ordem a uma desejada e urgente renovação". Neste sentido, o ex-vice-presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), no mandato de D. José Policarpo, numa crítica acutilante e sem precedentes, culpa os seus colegas diocesanos pela ignorância catequética em que são mantidos os católicos, frisando que nem a CEP tem levado o assunto a sério. "Os bons propósitos de uma iniciação cristã programada de que se foi falando em diversas instâncias não foram longe e não se viu reflexão nesse sentido, nem a nível de CEP e seus serviços nem a nível da quase maioria das dioceses", escreveu.Em consequência, o panorama, na perspectiva de D. António Marcelino, é o seguinte: "Uma Igreja, com grupos maioritários válidos e apostólicos, mas pejada de pagãos ou de cristãos incoerentes. Que vão perdurando, e não diminuindo, por uma sacramentalização sem evangelização ou catequese."O prelado resignatário de Aveiro acusa os demais bispos de olharem só para os seus próprios umbigos, sem se centrarem no essencial. "Muitos planos pastorais aparecem mais voltados para os problemas internos da Igreja, por importantes que estes sejam, que para o seu dever como servidora do mundo que tem e ouvir para melhor dialogar." Acusando os colegas de clericalistas, sublinha: "A muitos leigos bem preparados pede--se-lhes o que muitos outros podem fazer e não um contributo de reflexão e planificação para que têm saber e competência."Para D. António Marcelino, a Igreja precisa da renovação pedida por Bento VI quando da visita ad limina dos bispos a Roma, dando razão às críticas do Papa. "A Igreja do Vaticano II não pode ser mais uma Igreja de cristandade, na qual a tradicional vertente clerical substitua ou impeça a integração dos leigos na vida e na missão concreta da Igreja."
Por LICÍNIO LIMA, MANUEL CORREIA-JORNAL DE NOTICIAS
in paróquias.org

Queres ver que fui eu?????

Numa manhã, a professora pergunta ao aluno:
- Diz-me lá quem escreveu 'Os Lusíadas'?
O aluno, a gaguejar, responde:
- Não sei, Sra. Professora, mas eu não fui.
E começa a chorar.A professora, furiosa, diz-lhe:
- Pois então, de tarde, quero falar com o teu pai.
Em conversa com o pai, a professora faz-lhe queixa:
- Não percebo o seu filho. Perguntei-lhe quem escreveu 'Os Lusíadas' e elerespondeu-me que não sabia, que não foi ele..
Diz o pai:
- Bem, ele não costuma ser mentiroso, se diz que não foi ele, é porque nãofoi. Já se fosse o irmão...
Irritada com tanta ignorância, a professora resolve ir para casa e, na passagem pelo posto local da G.N.R., diz-lhe o comandante:
- Parece que o dia não lhe correu muito bem...
- Pois não, imagine que perguntei a um aluno quem escreveu 'Os Lusíadas' respondeu-me que não sabia, que não foi ele, e começou a chorar.
O comandante do posto:
- Não se preocupe. Chamamos cá o miúdo, damos-lhe um 'aperto', vai ver queele confessa tudo!Com os cabelos em pé, a professora chega a casa e encontra o marido sentado no sofá, a ler o jornal.
Pergunta-lhe este:
- Então o dia correu bem?
- Ora, deixa-me cá ver. Hoje perguntei a um aluno quem escreveu 'OsLusíadas'. Começou a gaguejar, que não sabia, que não tinha sido ele, e pôs-se a chorar. O pai diz-me que ele não costuma ser mentiroso. O comandante da G.N.R. quer chamá-lo e obrigá-lo a confessar. Que hei-de fazer a isto?
O marido, confortando-a:
- Olha, esquece. Janta, dorme e amanhã tudo se resolve. Vais ver que se calhar foste tu e já não te lembras...! *
mail recebido...

Espiritualidade focolar II

A primeira intuição
Um indício. Estamos em 1939. Sou convidada a participar de um encontro para estudantes católicas, em Loreto. Este será o ponto de partida da minha experiência espiritual.
Acompanho o curso, como todas. Mas sempre que posso, durante os intervalos, corro para a Casinha protegida pelo santuário. Não tenho tempo para me perguntar se, como diz a tradição, aquele é historicamente o ambiente que hospedou a Sagrada Família, em Nazaré. Ajoelho-me ao lado da parede escurecida pela fumaça das velas. Não consigo pronunciar nenhuma palavra. Algo de novo e divino me envolve, quase me esmaga.
Com o pensamento contemplo a vida virginal dos três. Então Maria deve ter morado aqui. José deve ter percorrido este quarto daqui para lá. o Menino Jesus, entre eles, viveu neste lugar por anos. Entre estas paredes deve ter ressoado a sua voz de menino... não consigo controlar as lágrimas. Acontece assim a primeira vez. Mas depois, em todos os intervalos do curso, corro novamente para lá. Aquela convivência de virgens, com Jesus entre eles, possui uma atração irresistível.
Chega o último dia. A igreja está repleta de jovens. Assalta-me um pensamento claro, que jamais se cancelará: “Uma fileira de virgens a seguirá”.
Voltando a Trento encontro os meus alunos e o pároco. Ao ver-me feliz ele pergunta: “Você descobriu o seu caminho?” “Sim”, respondo. “O casamento?” “Não”. “O convento?” “Não”. “Você permanecerá virgem vivendo no mundo?” “Não. É um quarto caminho”, concluo. Mas não sabia dizer nada além disso.
Passam-se quatro anos. Enquanto faço um ato de caridade percebo que Deus me chama a doar-me a ele para sempre. Peço a permissão a um sacerdote e a obtenho. É o dia 7 de dezembro de 1943. A alegria interior é inexplicável, secreta, mas contagiosa. Por vários motivos venho a conhecer outras jovens da minha idade. Elas desejam percorrer o mesmo caminho.
in focolare.org

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

A um Amigo...

... nunca dizemos não!

Seminário

Ontem dizia-me um amigo... O melhor tempo da minha vida foi passado no Seminario... Ou melhor, o Seminário foi o melhor tempo da minha vida (pode parecer uma chinesice mas faz toda a diferença)...
Ainda bem que ja só me falta meio ano para dizer o mesmo:-)
De facto, os melhores amigos são os que nasceram em Seminário... ainda que depois tenham descoberto que a sua vocação era outra. Afinal, só a verdade liberta....

Ministérios...

Diz-se que a melhor profissão que se pode ter em Portugal é... ex-ministro
Eu acrescentaria um segundo estado que também não é mau... ex-presidente da câmara...
Em Igreja nunca seremos ex...
Sou acólito não sou ex-leitor, os diáconos não são ex-acólitos, os padres não são ex-diáconos... os bispos não são ex-sacerdotes, O Papa não é ex....

Mas... a chave...

Há vidas mais dificeis que a de um seminarista, muito mais, até... mas todas elas têm chave de casa:-)
Ontem lá estive mais meia horinha às voltas da casa cor-de-rosa na esperança de ver alguém que me abrisse a porta. Até apareceram reforços no exterior mas a tentativa de entrar ficou-se por isso mesmo...
desde o primeiro dia o 1º ano que tenho terminado as minha exposições nas reuniões de avaliação ou de projecção do ano smp da mesma forma.... Precisamos de uma chave.
Reconheço que já houve tentativas nesse sentido e pelos vistos até está a ser estudada uma solução semelhante à existente no Seminário de Viseu...
Sr. Reitor... vá lá:-)... já só falta meio ano para me ir embora... Se não for possível ao menos no início do próximo ano... Afinal... uns são os que semeiam, outros os que colhem:-)

Grande dia

Ontem, dia da Imaculada Conceição, houve intituição de ministérios. A data e o local, habitualmente diferentes, foram alteradas por proposta dos seminaristas que iam receber novos ministérios. Propusemos à equipa o dia oito por ser dia de Nossa Senhora e o local a sé, até porque de independentemente disso, haveria pontifical.
Proposta aceite e ontem lá fomos... O João e o Filipe foram intituidos leitores,o André, O Jorge, o Bernardo e o Tiago instituidos acólitos.
Presidiu à celebração o sr. Bispo de S. Tomé, sr. D. Manuel António, natural de Castro Daire, estando também presente o sr. D. Jacinto e o sr. Vigário-Geral.
Num dia de festa para o seminário, foi lá que fomos almoçar, em família, juntos e unidos.
Amigos... sirvam!

Espiritualidade focolar I

Espiritualidade da unidade
Assim como no decorrer dos séculos,especialmente em momentos de crise,de reviravoltas na história, ainda hoje,com os dons dos seus carismas,o Espírito faz com que desabrochemnovas correntes espirituais na Igreja,suscitando movimentos, comunidades, famílias religiosas,que são, por assim dizer,a encarnação de uma palavra de vidaque Jesus quer repetir para a humanidade,como remédio para os males do tempo.

Unidade, comunhão: as palavras para o terceiro milênio
Comunhão, comunidade, unidade. Palavras que Jesus repete hoje. Do Concílio Vaticano II emergiu a exigência de uma espiritualidade de comunhão, que em muitos momentos foi invocada pelo Papa João Paulo II e por Bento XVI. É justamente a unidade a característica da espiritualidade do Movimento dos Focolares.
Uma espiritualidade que brotou de uma experiência de redescoberta do Evangelho das origens. Chiara e suas primeiras companheiras descobrem no Testamento de Jesus, “que todos sejam um”, o porquê de suas vidas. É uma “página de luz” que se abre em um momento escuro da história: a Segunda Guerra Mundial. Como realizar a unidade em um mundo tão dilacerado pelo ódio e pela violência? É um questionamento que se torna oração. A resposta se encontra numa outra “página de misterioso sofrimento”, escrita por um Deus que, na cruz, chega a gritar o abandono de seu Pai, para reunir os homens ao Criador e entre si.
A medida do amor mútuo, que gera a unidade, encontra-se neste ápice de amor. Uma unidade que torna visível a presença do Ressuscitado no lugar onde cada pessoa vive: na família, nos bairros, nas fábricas, nos parlamentos. Quando o Ressuscitado está entre nós, como ele prometeu a dois ou três que se reúnem em seu nome, ou seja, no seu amor, de alguma maneira experimenta-se o divino, a sua paz, a sua luz, o seu amor, a unidade!
Chiara Lubich testemunha: “Foi justamente quando acreditávamos estar simplesmente vivendo o Evangelho que o Espírito Santo esculpiu com caracteres de fogo nas nossas almas aqueles que teriam seriam os pontos fundamentais da ‘Espiritualidade da Unidade’, uma espiritualidade nova, ao mesmo tempo pessoal e comunitária”.
in focolar.org

domingo, 7 de dezembro de 2008

Chiara Lubich

Faz hoje 65 anos que Chiara se entregou a Deus...
Surgia, sem o saber, o Movimento dos Focolares....
A espiritualidade da unidade e da comunhão contagiou rapidamente o mundo....E a Igreja, como viria a confirmar o concílio.
Existem mais de 2 milhões de simpatizantes, dos quais 141,280 são membros. 100,000 simpatizantes não têm convicções religiosas, 30,000 hebreus, muçulmaos, hinduistas e tauistas, 50,000de Igrejas e comunidades eclesiais não católicas.
À cabeça do movimento está hoje Maria Emmaus e será sempre uma mulher....
Está subdividido em 22 ramificações como por exemplo os gen, nas suas várias gerações e ainda os gen's (geração nova sacerdotal - para seminas e padres), familias novas, emtre muitas outras...
Mas o mais importante do movimento não são estes números mas sim a espiritualidade... Para recordação e homenagem, colocarei neste pobre blog alguns pontos do seu pensamento.

Tarde de domingo

Enquanto chovia copiosamente em Alvarenga um bom número de pessoas acorreu à Igreja Paroquial para a adoração ao santíssimo... Reflectimos sobre a adoração do santíssimo fazendo uma analogia entre as nossas visitas e a visita dos Magos... as prendas deles e as nossas... e, acima de tudo, o presente da presença....

Um caminho

Um pouco de ecumenismo ad intra:-)
O objectivo mais ambicioso - Opus Dei
Ekene Ogbechie é uma jovem farmacêutica inglesa, membro de um grupo musical, que está a fazer um mestrado MBA na Manchester Business School. Neste testemunho conta a sua experiência como supranumerária do Opus Dei.
Em 2001 uma amiga minha sugeriu-me que fizesse um retiro espiritual em Wickenden Manor. Fui e durante aqueles dias de oração questionei-me a fundo sobre o sentido da minha vida. “Estarei a desperdiçá-la?” Perguntava eu a Deus. Nem todas as pessoas que fazem um retiro se questionam sobre temas tão essenciais, mas fiquei impressionada com a mensagem de santidade que tinha escutado durante aqueles dias.
A partir daí comecei a assistir, com algumas amigas minhas, a diversos meios de formação cristã em Ashwell House, uma residência universitária de Londres dirigida por mulheres do Opus Dei.
Durante esse tempo cantava num grupo musical, tinha uma intensa vida social e desfrutava de muitas coisas; mas faltava-me algo; sentia na minha alma uma inquietação íntima e um forte desejo de Deus, difícil de explicar. Não é fácil passar para o papel o que se sente quando se está nessa situação. Dava-me conta, na minha cabeça e no meu coração, de que Deus me estava a pedir mais e que devia dar-Lhe mais!
Os meus amigos achavam-me mais alegre depois do meu encontro com o Opus Dei e diziam-mo. Porque eu continuava a ter a intensa vida social de sempre, mas ao mesmo tempo, cuidava a minha vida de fé e estava a descobrir uma nova perspectiva das coisas, que me dava mais alegria e mais esperança. O espírito do Opus Dei ajuda-me a encontrar o equilíbrio, a harmonia, entre o humano e o sobrenatural.
Comecei a descobrir numerosos aspectos da Igreja e da fé que desconhecia. Este é um ponto no qual os membros do Opus Dei têm uma especial responsabilidade, porque a nossa sociedade necessita de pessoas, de todos os ambientes, que saibam comunicar aos outros – sem os julgar, sem sentimentos de superioridade e aceitando-os tal como são – a necessidade de seguir Cristo no meio do mundo, realizando as actividades habituais de cada dia, proporcionando-lhes, se o desejarem, uma formação católica profunda.
Os jovens sonham com muitas coisas, têm grandes aspirações e desejam levar a cabo grandes projectos. Mas há um projecto que supera todos os outros em ambição e grandiosidade que é o projecto de ser verdadeiramente cristão. É o objectivo mais elevado e alto que qualquer pessoa se pode propor. Todas as noites, quando faço o meu exame de consciência, descubro quanto me falta percorrer! E, no entanto, luto! Porque confio na graça de Deus, que não me há-de faltar.
Fonte: http://www.opusdei.pt/art.php?p=22543
Reprodução autorizada pelo Gabinete de Imprensa do Opus Dei em Portugal

Boa!

Na Eucaristia de hoje,em Cabril, o Sr. Abade Silveira disse esta frase:
-"A confissão é como aquela substância... o tira-nódoas"!!!!
Ninguém diria melhor....

sábado, 6 de dezembro de 2008

Distraido...

A anedota do dia...
Um Senhor, o melhor condutor do mundo, segundo o ppróprio! pega na sua viatura e dirige-se para a auto-estrada. Muito Senhor de si, qual Shumacker, distrai-se e entra em sentido contrário.
É então que ao ligar o rádio ouve a notícia de que há um veículo que circula em contra-mão na auto-estrada que o senhor percorria... (até aqui td bem)
Eis a reacção do Senhor:
"- Um???? são mais de mil:-)"
(saiam da frente) :-)

Estágio... pastoral (paroquial)

Desde manhã até agora em tabalho pastoral...Diferente do habitual...
Mas é assim, este serviço tem muito de relação, ou mehor, este serviço é relação a "três dimensões". Connosco mesmos, com os nossos irmãos, com Deus...
Se estagiar é difícil e exige uma preparação constante, paroquiar sê-lo-à muito mais. O documento da congregação para o clero "O presbítero, pastor e guia da comunidade paroquial" dá-nos orientações neste sentido... A partir do número 27 fala dos desafios positivos do presente na pastoral paroquial... muito interessante!
Naturalmente o seminário será uma escola de párocos...

SAL TERRAE

O grupo de jovens de Alvarenga chama-se Sal Terrae…A sua intenção é naturalmente salgar este mundo sem sabor… Mas recentemente surgiu-me uma nova forma de interpretar… Hoje o sal ainda tempera a comida, mas é também usado numa acção muito importante que é desfazer o gelo. Hoje ser sal é tentar quebrar o gelo, os corações gelados, indiferentes… Se a indiferença for o 8º pecado grave, ser sal será a virtude correspondente… estes jovens, presente da Igreja, presença de Deus e presente para os homens, são espelhos cada vez mais límpidos deste rosto jovem de Deus.

SOS " :-(

Ainda mais perto... ali em Parada, esta noite assaltaram um estaleiro de materiais de construção para levar o empilhador... E já não bastava, têm a distinta lata de passar com ele em frente à casa do dono... Tiveram azar que o Senhor acordou...
Os ladrões foram intercepatados pouco tempo depois e levaram uns presentes de chumbo... a carrinha ficou sem vidros, que ainda se encontravam de tarde no cruzamento para o centro de Cabril. Mas apesar de tantos tiros os ladrões lá fugiram, mas deixaram o empilhador... Dizem que o mobile deste crime seria retirar a caixa multibanco que se encontra na junta de alvarenga...
Olhem que isto....

SOS :-(

E se vos disser que em Castro Daire existe um grupo de jovens que se martiriza para ver até que ponto suportam o sofrimento e apreciam o estado de dor? São capazes de cortar os punhos para verem o sangue a percorrer a banheira… matar sapos para, em grupo, beberem o seu sangue…
Ali diante… Meu Deus!!!! Que fazemos?

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Para Ti

Somos o alfabeto com o qual Deus quer escrever a sua história....

S. Martinho de Dume... Um estrondo

Se começas a ler... n vais conseguir parar...
Não procures granjear a amizade de alguém por meio da adulação, nem permitas que outros por meio dela granjeiem a tua. Não sejas ousado nem arrogante; submete-te e não te imponhas; conserva a serenidade e aceita de boa mente as advertências e com paciência as repreensões. Se alguém te repreender com razão, reconhece que é para teu bem; se o faz sem motivo, admite que é com boa intenção. Não temas as palavras ásperas, mas sim as brandas. Emenda-te dos teus defeitos e não sejas curioso indagador ou severo censor dos alheios; corrige os outros sem incriminação, prepara a advertência com mostras de sincera simpatia, e ao erro dá facilmente desculpa.Não exaltes nem humilhes pessoa alguma. Sê discreto a respeito do que ouves dizer e acolhedor benévolo dos que te querem ouvir. Responde prontamente a quem te pergunta e cede facilmente a quem porfia, para que não venhas a cair em contendas e imprecações.Se és moderado e senhor de ti mesmo, vigia sobre as moções do teu ânimo e os impulsos do teu corpo, evitando todas as inconveniências; não os ignores pelo facto de serem ocultos; pois não importa que ninguém os veja, se tu de facto os vês.Sê flexível, mas não leviano; constante, mas não teimoso. A tua ciência não seja ignorada nem molesta. Considera a todos iguais a ti; não desprezes os inferiores com altivez, e não temas os superiores, se vives rectamente. Em matéria de obséquios e saudações não te dispenses nem os exijas. Para todos deves ser afável; para ninguém, adulador; com poucos, familiar; para todos, justo.Sê mais severo no discernimento do que nas palavras e mais nobre na vida do que na aparência. Afeiçoa-te à clemência e detesta a crueldade. Quanto à boa fama, não apregoes a tua nem invejes a alheia. Sobre rumores, crimes e suspeitas não sejas crédulo nem inclinado a pensar mal, mas opõe-te decididamente àqueles que com aparente simplicidade maquinam a difamação alheia.Sê tardo para a ira e fácil para a misericórdia; firme nas adversidades, prudente e moderado nas prosperidades; ocultador das próprias virtudes, como outros o são dos vícios. Evita a vanglória e não busques o reconhecimento das tuas qualidades.A ninguém desprezes por ignorante. Fala pouco, mas tolera pacientemente os faladores. Sê sério mas não desumano, e não menosprezes as pessoas alegres.Sê desejoso da sabedoria e dócil. Sem presunção, ensina o que sabes a quem to pedir; e sem disfarçar a ignorância, pede que te ensinem o que não sabes.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Uma pessoa.... "normal"

Pode dizer-se que uma pessoa é psicologicamente normal quando, em comparação com os traços fundamentais que caracterizam a fase etária e psicológica em que se situa, não revela "grandes" falhas.
A pessoa adulta psicologicamente normal:
* É emocionalmente madura e equilibrada; não se mantém numa atitude excessivamente fixa; pensa e age como uma pessoa em situação semelhante; tem um objectivo na vida.
* Encara o lado duro da vida com realismo; é lúcida para ver que a vida é exigente e complexa. Na dureza, consegue descobrir e saborear os outros aspectos/dimensões da vida.
* Ganha honradamente a vida, apreciando devidamente as múltiplas facetas do lazer e do trabalho. Sabe estar só e gosta do convívio social.
* Tem temperamento flexível. É compreensiva e tolerante; desculpa o que é de desculpar e exige o que é de exigir. Não é cínico, nem intriguista.
* Não age impulsivamente; emite juízos ponderados e oportunos; tem capacidade para tomar decisões razoáveis e inteligentes.
* Possui bom humor, sabe manifestá-lo e, à sua volta, irradia confiança.
* Mantém uma atitude saudável perante a vida e perante as pessoas.
* É capaz de conviver normalmente com a solidão entendida como diálogo com o silêncio; solidão que “é oportunidade e liberdade de ser ele mesmo, de traçar nitidamente as minhas fronteiras para poder ser eu e, ao mesmo tempo, estar de verdade com os outros e poder dizer-lhes o meu silêncio e a minha palavra”.
Em conclusão, a pessoa adulta normal sabe apreciar-se a si mesma, revela uma personalidade capaz de sentir satisfação pelo trabalho que realiza, não manifesta sintomas de graves conflitos mentais, sejam eles da área do distúrbio, da neurose, ou da histeria.
O Papa João Paulo II, em documento recente, define assim a pessoa adulta: "Considera-se, justamente, que uma pessoa chegou à idade adulta, quando consegue discernir, por seus próprios meios, entre o que é verdadeiro e o que é falso, formulando um juízo pessoal sobre a realidade objectiva das coisas." (F.R. 25)
sebenta de psicologia pastoral

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Um mal nc vem só

Arrogância: tendência para dominar os outros
para além dos próprios e legítimos direitos e méritos
João Paulo II

Ainda o documento da congragação (educ. Cat.)

Problemas que podem aparecer nos candidatos (ao seminário/sacerdócio)
Distúrbios psicológicos, desiquilibrios, contradições.
Excessiva dependência afectiva, agressividade desproporcionada, insuficiente capacidade para ser fiel às responsabilidades assumidas, dificuldade de estabelecer relações serenas de abertura, confiança e colaboração fraterna, falta de liberdade nas relações, falta de lealdade.
Identidade sexual confusa ou ainda mal definida (tendências homossexuais fortemente radicadas).
(do encontro formativo de quinta 27)

tipo... um poust*

Alevantar
O acto de levantar com convicção, com o ar de 'a mim ninguém me come por parvo!... Alevantei-me e fui-me embora!'.
AspergicMedicamento
português que mistura Aspegic com Aspirina.
Assentar
O acto de sentar, só que com muita força, como fosse um tijolo a cair no cimento.
Capom
Porta de motor de carros que quando se fecha faz POM!
Destrocar
Trocar várias vezes a mesma nota até ficarmos com a mesma.
Disvorciada
Mulher que se diz por aí que se vai divorciar.
É assim…Talvez a maior evolução da língua portuguesa. Termo que não quer dizer nada e não serve para nada. Deve ser colocado no início de qualquer frase. Muito utilizado por jornalistas e intelectuais.
Entropeçar
Tropeçar duas vezes seguidas.
Êros
Moeda alternativa ao Euro, adoptada por alguns portugueses.
Falastes, dissestes, …Articulação na 4ª pessoa do singular.Ex.: eu falei, tu falaste, ele falou, TU FALASTES.
Fracturação
O resultado da soma do consumo de clientes em qualquer casa comercial.Casa que não fractura... não predura.
Inclusiver
Forma de expressar que percebemos de um assunto.E digo mais: eu inclusiver acho esta palavra muita gira.Também existe a variante 'Inclusivel'. A forma mais prática de articular a palavra MEU e dar um ar afro à língua portuguesa, como 'bué' ou 'maning'.Ex.: Atão , tudo bem?NhaAssim como , é a forma mais prática de articular a palavra MINHA. Para quê perder tempo, não é? Fica sempre bem dizer 'Nha Mãe' e é uma poupança extraordinária!
Númaro
está na Assembleia da República uma proposta de lei para se deixar de utilizar a palavra NÚMERO, a qual está em claro desuso. Por mim, acho um bom númaro!
Parteleira
Local ideal para guardar os livros de Protuguês do tempo da escola.
Perssiunal
O contrário de amador. Muito utilizado por jogadores de futebol.Ex.: 'Sou perssiunal de futebol'.Dica: deve ser articulada de forma rápida.
Pitaxio
Aperitivo da classe do 'mindoím'.
Prontus
Usar o mais possível. É só dar vontade e podemos sempre soltar um "prontus"!Fica sempre bem. PrutugalPaís ao lado da Espanha. Não é a Francia.
Quaise
Também é uma palavra muito apreciada pelos nosso pseudo-intelectuais.Ainda não percebi muito bem o quer dizer, mas o problema deve ser meu.
Stander
Local de venda. A forma mais famosa é, sem dúvida, o 'stander' de automóveis. O 'stander' é um dos grandes clássicos do 'português da cromagem'…
Tipo
Juntamente com o 'É assim', faz parte das grandes evoluções da língua portuguesa. Também sem querer dizer nada, e não servindo para nada, pode ser usado quando se quiser, porque nunca está errado, nem certo. É assim... tipo, 'tás a ver?
Treuze
Palavras para quê? Todos nós conhecemos o númaro treuze.
Inquipa Uma equipa que precisa de inverter o seu modelo.
grande Desfesa
Uma defesa forte

in lampada azul (blogspot)

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Moçambique (por: Pe. José António)

A minha aventura em Moçambique

O sonho concretizou-se! Depois de alguma insistência com os nossos bispos, e de aprender que a obediência é o único caminho para construir comunhão em Igreja, parti para Moçambique por mês e meio, confiando aos cuidados do neo-sacerdote P. Filipe a paróquia de Penedono.
Durante um ano, fui-me preparando espiritualmente com a Sociedade Missionária da Boa Nova. A minha ansiedade era grande e por isso levava muitas expectativas e interrogações. Cheguei a Maputo e fiquei a trabalhar com o P. Jorge Anastácio, em duas paróquias com cerca de 300 mil habitantes.
O trabalho foi intenso e apaixonante. Na área social, destacaria o apoio a nove projectos, com o dinheiro das ofertas que nos fizeram e o resultado de uma quermesse realizada na semana cultural do Centro Social Paroquial de Penedono.
Os projectos apoiados, foram na lógica do micro-crédito. Entregámos o dinheiro ao Centro Social da Missão e esta, por sua vez, acompanhará localmente os projectos, ficando as pessoas beneficiadas a pagar mensalmente duzentos meticais (6 euros), até amortizarem o empréstimo que será novamente reinvestido. Dois mil e duzentos e trinta euros deu para pagar a construção de uma casa, um aviário, colocar a luz eléctrica em duas casas, comprar duas arcas frigoríficas a duas famílias, um gerador, e também adoptar cinco crianças, pagando 10 euros mensalmente por criança, e assim permitir que elas possam frequentar a escolinha, alimentar-se, e crescerem saudáveis.
Contando esta experiência em diversas escolas e paróquias, mais 14 outras adopções já foram possíveis, havendo grande abertura para aderir a este projecto simples e credível, visto que existe uma estrutura ligada à Igreja, que no terreno acompanha estas crianças.
No plano religioso, tive a sorte de acompanhar o arcebispo de Maputo, D.Francisco Chimoio, na visita pastoral à paróquia de Mavalane, durante uma semana. Este prelado esteve preso pela Renamo, foi colocado numa cruz como Jesus para ser crucificado, mas foi depois liberto graças à pressão internacional dos meios de comunicação social.
Ao ver a acção dos missionários no terreno, um oásis no meio de tanta miséria, fiquei com mais amor à nossa Igreja de Jesus Cristo, que faz opção preferencial pelos pobres sem reivindicar louros ou qualquer outro reconhecimento. Descobri com este povo que, o Evangelho permite discernir os valores perenes de cada cultura e também aquilo que precisa de ser purificado. Na celebração duma semana Paulina, aprofundei o amor gratuito de Deus, que vai para além de todo o legalismo e utilitarismo. Por isso, só os pobres e pecadores, que se apresentavam sem méritos diante de Jesus, compreendiam esta gratuidade sem limites.
Percorri ruas e vi pessoas muito pobres, mas com um grande coração e heroicidade para tentarem sobreviver no meio de tanta miséria. A sua alegria e festa fizeram-me descobrir e valorizar a generosidade de Deus para comigo.
Regressei. E participando na assembleia do clero, ouvi com entusiasmo o nosso bispo sentindo-se responsável pela Igreja universal, convidando os sacerdotes a reflectir sobre a forma de partilhar com outras dioceses e missões o seu clero diocesano; compreendi que a obediência à Igreja, pode gerar experiências duradouras que será necessário aprofundar e descobrir, mais do que percorrer aventuras individuais e caprichosas com as nossas lindas ideais, mas com pouco sentido de comunhão eclesial.
Aprendi muito! Ao regressar, verifiquei que a paróquia de Penedono estava melhor, graças ao bom trabalho realizado pelo padre Filipe nos primeiros dias do seu sacerdócio.
Na continuidade do apelo do nosso bispo, gostava de lançar um desafio: porque não a diocese assumir uma paróquia em África, promovendo o voluntariado de tantos jovens da nossa terra e enriquecendo os sacerdotes com abertura de horizontes, contactando com outras experiências e culturas? Mais uma paroquia? Que tal…? O nosso bispo abriu a porta. Estará a nossa geração preparada para este desafio?

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

O modelo

Quanto tempo devemos rezar?
O que é rezar?
Quanto empo Jesus rezou?
E São Paulo?
Atenção ao modelo para que não aconteça que não haja tempo para a caridade...

Futuro? não, presente

Todos nós temos uma certa sencibilidade a um determinado tipo de coisas ou frases. Hoje, como em muitos outros dias, ouvi falar de jovens como futuro, de seminaristas como futuro da Igreja... Ora aqui está o primeiro engano e um erro colossal... Os jovens são o presente... e os seminas também são já presente da Igreja. Quando se pensa assim, não se aprecia o trabalho e o modo próprio da juventude... e próprio do seminarista... e esquecem-se que a maior parte das instituições de voluntariado são servidas por jovens... Pois é... Não é o futuro... é o presente... Não antecipemos as coisas, mas também não adiemos indefinidamente...

Festa dos pais... the last

Mais uma festa dos pais,,,, a última!
Esperava-se uma manhã de belas palavras, de formadores e colegas e assim aconteceu...
Esperava-se uma Eucaristia bem participada e assim aconteceu...
Esperava-se uma tarde de convivio e recreio... e isso não aconteceu.
Apenas o sexto ano, invariávelmente, deu algum teor recreativo e de são convívio ao encontro da tarde. Fizemos um resumo da nossa passagem no seminário. Desde os primeiros passos de caloiros em 2003, passando pela investidura das alvas, pelas festas de natal e Tainas", terminando recordando colegas e formadores que foram saindo... O Ricardo, o Sebastião, mais recentemente o Ant. Luis. Isto foi também uma homenagem a eles e ao seu espírito seminaristico, ainda que longe das paredes desta casa. Que saudades deles, das tainas, das discussões, de verdadeira amizade.
Houve quem preferisse declamar poemas, fazer um diaporama de 10 minutos sobre Cristo como luz do mundo ou da graça. TEmas muito interessantes... mas... era de convivio que estavamos a espera.
Tivemos mesmo oportunidade de receber os parabens quer dos formadores, quer dos pais, as pessoas mais importantes da festa, quer até de convidados nomeadamente de um sucessor dos apóstolos.
Fomos 6º ano. Temos uma identidade. Somos um grupo. Somos amigos. Reconhecemos limitações mas procuramos fazer caminho.
Deixem-me dizer... tenho orgulho em ser do sexto ano. Em ser condiscipulo do André, do Filipe, do Bernardo e do Tiago... E isto vem de dentro, do fundo, e é recíproco. Mesmo quando alguém se prefere demarcar, não assumindo o que faz, não sendo quente nem frio, mas morno, para não escaldar nem gelar, eu assumo... tb participei.

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Padre da diocese de Lamego Numa missão.... diferente

>

Com a devida vénia ao sr. pe. José Alfredo, retirado do seu blog ubi caritas.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Um desafio

Estava eu tão descansado num encontro formativo quando sou desafiado para preparar um próximo, sobre o último documento da congregação para a educação católica. Apenas sabia que era sobre psicologia, que vinha sendo preparado desde 2002 e que ainda nem sequer ninguém o tinha. Pensei que teria muitas páginas e que já tinha trabalho para duas semanas:-) Mas com sorte trabalhosa encontrei o documento em catholic.net e vi, agradado, que eram apenas 12 páginas.
Mas a surpresa não ficou por aqui... Começo a ver os títulos e aparecem-me temas como "Preparação de formadores", deveres dos formadores, relação dos formadores com os psicólogos..
Mas de facto ninguém melhor que os seminaristas para falar da preparação dos formadores... e dos seus deveres (ainda bem que o texto não fala de direitos)...
Mas tirando essa parte sempre interessante, há uma parte diferente mais dirigida a nós, candidatos ao sacerdócio ou ao seminário, na qual são referidas virtudes e defeitos, qualidades e dificuldades, aberturas e limitações ...
E é já amanhã... está preparada...Vamos lá ver como corre.... Espero não falhar pelo menos na parte que diz respeito à preparação e deveres dos formadores:-)lolol.

"relação" categoria "Teo-antropológica"

A nossa fé acredita que somos imagem e semelhança de Deus. E somo-lo de facto em vários pontos. Mas a relacionalidade é o que nos torna melhor imagem e nos confere maior semelhança.
Dizer que o homem é pessoa é precisamente apresentá-lo como ser "relação".
Esta relação vemo-la na criação, onde Deus coloca o homem à sua frente, à frente das outras coisas criadas e de um "tu" igualmente humano.
A pessoa é substancia e relação e pode mesmo dizer-se que há uma certa identificação, ou pelo menos, não há um substancialismo "des-relacional" e uma relação "des-substanciada".
É por isso que a categoria relação tem sido cada vez mais valorizada quer nas actividades infanto-juvenis, quer nos processos de descoberta de nós mesmos e da nossa vocação. O seminário não é excepção. Também aqui deve ser apreciada sem medo de sobrevalorização por vários motivos... a nossa vida com Deus, connosco próprios, com os outros, a capacidade agora demonstrada é a que vai ser usada para fazer presbitério, por exemplo. Mas é também a base para um celibato fiel e alegre, para ser vivido não como um peso mas como um Dom.
A capacidade de estabelecer relações sãs é mais um ponto importante do mais recente documento da congregação para a educação católica, de que vos tenho vindo a falar...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Novo documento da congregação para a educação católica

As qualidades que um candidato (ao sacerdócio) deve possuir

  • Equilíbrio humano e psíquico, particularmente afectivo.
  • Doação de si, a série de virtudes humanas da exortação PDV.
  • Conhecimento de si mesmo, das próprias capacidades e limites, para uma boa auto-estima.
  • Capacidades relacionais e sólido sentido de pertença.
  • A capacidade de levar o peso das responsabilidades pastorais, o conhecimento profundo da alma humana e do sentido da justiça e da lealdade.
  • O valor de tomar decisões e entusiasmar-se por grandes ideais realizando-os no dia-a-dia.
  • Capacidade de se corrigir.
  • O gosto pela beleza entendida como “esplendor da verdade”.
  • A capacidade de integrar a própria sexualidade, tendo em conta a obrigação do celibato.
  • Sentido de superar com gradualidade as carências aos níveis espiritual e humano.

Mais difícil ainda

A vida não é nada fácil para quem a leva a sério...
E para os outros?

retribuição ou fitas?lol

Devido à ausência do almoço, ou melhor, há existência do almoço fantasma, os intervenientes quiseram desculpar-se... e cm? Com fitas, claro...
Um grupo decidiu fazer fitas de finalistas....
A outra parte preferiu a fita do cinema...
Da próxima x que convidarem para o almoço.... deixem-se de fitas....lol

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Um ponto de vista

O Bota de Ouro brasileiro do AC Milan, numa entrevista baseada em perguntas dos leitores da revista Época, afirmou que os salários milionários dos jogadores são merecidos.Questionado se lhe parecia correcto que os futebolistas ganhassem milhões enquanto alguns adeptos vivem na miséria, Kaká respondeu,«o futebol é um negócio que envolve bilhões.No centro de tudo isso estão os jogadores.Não há nada mais justo que aqueles que estão no centro do negócio e o fazem andar sejam bem remunerados».Kaká falou sobre a sua situação de chegar virgem ao casamento e da sua devoção pela Igreja,«os que me criticam por isso falam como se eu fosse um pobre individuo manipulado, o que não é verdade.Sei muito bem o que faço e o que representa a minha mulher na minha vida.Quero converter-me num pastor, amo a Bíblia e gostaria de a estudar mais.Poder conhecer mais sobre Jesus fascina-me.Quero retribuir tudo o que Deus fez na minha vida e vou preparar-me.»
in sapo.pt

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Uma questão de "sim"

Os "sim's" da amizade...
às vezes custa mesmo dizer que sim mas lá vamos dizendo...
nem que seja para um jantar simples... para uns ovos cozidos...
ou até para um almoço "fantasma"...
Salva-se a companhia...
se possível...

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Um exemplo

Madre Teresa estava duas horas em adoração e 15 com os pobres.
três notas.
Não estava só com os pobres.
Não estava só em adoração.
Não estava 15 horas em adoração e 2 com os pobres.

Que tal?

Conferencias...

Sacerdote hoje: Sonhos e desafios!
Celibatários, não "solteirões"!

Que Deus para a humanidade de hoje?
Uma rede para a unidade!

Isto interessa-te?

E Mós ali tão perto...

Arte: Paisagens sonoras de Nodar (S. Pedro do Sul) levadas até Viseu
18 de Novembro de 2008, 10:00
Viseu, 18 Nov (Lusa) - Quatro "paisagens sonoras" de Nodar, uma aldeia do concelho de S. Pedro do Sul, foram captadas e levadas para o Teatro Viriato, em Viseu, onde poderão ser ouvidas até 14 de Dezembro.
A instalação áudio patente no Teatro Viriato é composta por obras desenvolvidas por Maksims Shentelevs (Letónia), Aaron Ximm (EUA), Pali Meursault (França) e John Grzinich (EUA/Estónia), que reflectem diferentes abordagens estéticas e técnicas do ambiente rural de Nodar, onde existe um Centro de Residências Artísticas.
Em "Nodar Soundscape Mapping", Maksims Shentelevs - que é arquitecto e artista sonoro - apresenta "um projecto sonoro de gravação e mistura em campo de paisagens sonoras de Nodar", nomeadamente tanques de metal ressonantes, eucaliptos e o fluxo da água do Rio Pavia.
"A paisagem sonora reconstruída representa um mapa ou um esquema de uma experiência pessoal e não uma manifestação de objectividade", explica o Teatro Viriato, acrescentando que, apesar da subjectividade, "a mistura em campo de sons enquanto pesquisa documental permite ao público o acesso a elementos escondidos da paisagem sonora e a sua navegação num mapa topográfico".
Aaron Ximm provou que "as paredes têm ouvidos", fazendo gravações através de microfones inseridos dentro das fissuras das pedras de casas em xisto.
"Partindo da percepção do quão é difícil para um artista sonoro estrangeiro aceder aos sons do interior de uma casa rural e da importância que a pedra (nomeadamente o xisto) tem na aldeia de Nodar, Aaron Ximm criou uma obra sonora que reflecte sobre a dialéctica interior/exterior", refere o Teatro Viriato.
Para o projecto "Nodar Flowlines", John Grzinich, que é o coordenador de um centro de residências artísticas no sudeste da Estónia, optou por uma "pesquisa sónica da paisagem circundante a Nodar".
Neste trabalho, "foram comparados e contrastados, por um lado, as linhas geográficas verticais provocadas pelos fluxos de água natural em direcção ao rio Paiva no fundo do vale e, por outro, os canais construídos por mão humana que levam a água para a aldeia e que atravessam as referidas linhas verticais".
O quarto criador, Pali Meursault, desenvolveu "Walk(s)", pesquisando "uma forma de escrita musical através do encontro com um ambiente, através de técnicas de gravação de campo, assim como de improvisação com objectos encontrados".
As suas captações sonoras basearam-se em percursos pedestres exploratórios e encontros casuais, tendo em conta as especificidades sonoras do lugar e os seus dados geográficos, temporais, sociais e políticos.
Pali Meursault é co-fundador da editora de música experimental Universinternational e membro do colectivo Ici-Même Art em Grenoble.
O Centro de Residências Artísticas de Nodar, que iniciou as suas actividades em 2006, tem promovido o desenvolvimento de projectos artísticos pluri e transdisciplinares, sobretudo nas artes sonoras, vídeo, performativas e intermédia.
No que respeita às artes sonoras, já passaram por aquele espaço duas dezenas dos mais conceituados artistas sonoros da actualidade.
AMF.

Salpicos de Mangualde

No dia de S. Martinho.. fomos a Mangualde provar...
Uma tarde de passeio, de conhecimento e até de reconhecimento pela obra feita por alguns padres que passaram por esta paróquia.
O actual, Con. Seixas, está há apenas um ano e dois meses, como frisou. Os seminas que fazem pastoral sorriram.
Agora umas pinceladas...
30 baptizados de saldo positivo em relação aos funerais.
12000 pessoas
270 agentes de pastoral a trabalhar durante a semana
64 funcionários do centro paroquial que inclui uma pastelaria uma ipss e a paroquia em si.
Este ano já desmarcaram 7 matrimónios.
115 crianças na primeira comunhão,
85 confirmadas,
800 lugares sentados na Igreja Matriz
2000 pessoas nas principais festas liturgicas
700 a 800 comunhões por f d s
16 aldeias
12 adultos baptizados...
150 ortodoxos,
1 aldeia em que metade dos habitantes são testemunhas de Jeova,
60 e tal catequistas.. necessidade de mais dez...
10% de prática sacramental...
4 padres ha 20 anos, hoje um...
2 seminaristas a fazer pastoral.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

vida de pastoral

As vezes fazemos tudo e não conseguimos nada...
Outras parece que não fazemos nada e conseguimos tudo...
É tão dificil conhecer... e mais dificil ainda aceitar determinadas coisas... determinados timings...
o principio é... derrotas por ter dado o que podiamos são vitórias...

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Vocações

A vocação é mesmo um mstério enorme...
Mas quem pensa que já viu muito... ouça esta:
Um policia de nova Iorque deixou essa carreira e é agora sacerdote...
Acho que o sr. Bispo não vai ter dúvidas sobre o local onde ele vai trabalhar;-)

Qul seria o retrato de um padre?

"
Talvez assim:

Um grande homem existe, simples e amigo de todos, tantas vezes esquecido e desprezado.
Mais que os anjos em poder e dignidade, é um homem extraordinário, pela grandeza de sua dedicação a Deus e a seus irmãos.
Sendo como os outros, tem o poder divino em suas mãos, com as quais nos pode abrir as portas do céu...
Moço ainda a Igreja lhe confere o título de presbítero, porque pensa, age com prudência e aconselha como velho.
Quando idoso, recita ainda diariamente: "Irei ao altar de Deus, do Deus que alegra a minha juventude", pois que tem o espírito sempre jovem e o coração a transbordar alegrias joviais...
Sábio nas coisas de Deus, orienta e dirige as consciências, como verdadeira luz que é das almas.
E sendo sábio e culto pelos estudos que tem, se faz simples como as crianças e se faz tudo para todos, a fim de ganhá-los para o reino dos céus...
Pobre, enriquece-se da sabedoria divina, das graças e dons celestes, dos quais ele é o legítimo dispensador...
Rico assim de ciência e santidade, torna-se pobre com os pobrezinhos, chora com os que choram e sofre com os que sofrem...
Forte e firme, levanta-se poderoso para defender os direitos de Deus e da Igreja.
Nem sempre o reconhecemos como se deve, nem o veneramos como merece...
É o homem de Deus e o amigo dos Homens: O Sacerdote

Pe. Antônio"

in "buscando novas águas

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

O ano

Vem aí o ano das eleições...
Por três vezes vamos às urnas para escolher os nossos representantes.
De todas as que mais agitação trazem são as autárquicas.. aliás, as movimentações já iniciaram. Daqui até ao dia das eleições muita coisa vai mudar.. Amigos que se vão chatear... Inimigos que se vão unir não por amor ou amizade, mas sim por necessidade, pq terão "inimigos comuns".
Só espero que haja sempre verdade.. mesmo acima da amizade ou de qualquer esquema político para ganhar... Se houver verdade haverá bons candidatos... Vamos esperar para ver...
Estou na primeira fila:-)

João Dinis

Nasceu hoje, as 10h e 15, pesa 3 kg e 460g e mede 51 cm....
Felicidades para ele e para os seus pais...
Mais um tpc:-)

Jantar de Páscoa

Convido os meus amigos para um jantar de Páscoa a realizar-se na segunda-feira a seguir ao grande dia.... podem ir deixando nos coments os vossos nomes:-)

P.s: Em principio não é bacalhau:-)

Jantares de Natal

É engraçado... qualquer motivo é bom para um jantar de Natal....
Mas com tantos motivos, o melhor é começar já em Novembro para não haver sobreposições...
ah! e quanto à ementa era melhor diversificar... :-)
Há tantos dias para jantar e para encontrar os amigos... ... ou não?

terça-feira, 4 de novembro de 2008

uma questão de fé

Não é preciso muita ciência para ter fé...
mas é preciso muita fé paa acreditar na ciência...

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

ser chique

Conheço algumas pessoas que se auto-denominam "chiques"...
Outras que detestam o termo e a forma de vida....
Mas para quem anda de perna cruzada no banco de trás de um carro, n restam dúvidas:-)
Já para não falar de passar três horas atrás de um produto e nenhum lhe servir...

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Gato fedorento

Não escondo que admiro aqueles jovens e desde a primeira hora, qd recebiam 100 cts por programa e tinham de pagar ainda desse dinheiro td. Quem não se lembra do sketch da claque dos seminas ou dauqela famosa discussão filosófica imitando o fórum da tsf em que atribui uma corrente filosófica aos três maiores clubes portugueses. Apesar dos mais velhos preferirem um tipo de humor diferente, parece-me que este supera alguns desses modelos.
Acontece que no passado domingo estiveram muito mal. muito mesmo. brincar com o que de mais sagrado há não pode ser permitido pela consciência de cada um. Ápesar do alvo da brincadeira ser o Magalhães, não se admite que usem qualquer semelhança com a liturgia cristã. Mas isto não é nada que grds senhores já não tenham feito (positivismo). Já não é, sequer, novidade esta forma de fazer humor. O programa está num formato claramente ultrapassado ( Zé Carlos é uma cópia de diz que é uma espécie de magazine) e tb por isso só terá 12 episódios.
Pode ser que o próximo formato seja melhor. Quem dera que não se voltasse a repetir, mas provavelmente vai. Eu vou continuar a ver smp que me seja possível na esperança que não se brinque com coisas sérias. Nunca deixei de ver futebol por causa dos nomes que os adeptos chamam aos árbitros ou aos jogadores... No fundo, aproveite-se o que for bom... Se não servir para mais nada, pode ser que sirva para despetar as consciências cristãs adormecidas, que não acordam de outra maneira senão desta forma.
Porque é que não há este fervor cristão quando a TVI interrompe a missa dominical para dar noticias de desporto ou simplesmente para colocar publicidade? Era bom que eles brincassem também ao aborto, mostrando as crianças a serem mortas... escandalizaria muitos... mas n passaria disso...

Repetição

Desculpem lá mas tenho de voltar a dizer isto.. Não gosto de surpresas... Nem boas nem más.
Obrigado.
Apesar de tudo aceito que as façam, não por as achar boas, mas por gostar de quem as faz.

Uma questão de...

Há cerca de um ano fiquei sem o meu portátil e só agora, 13 meses depois consegui perceber porque. Não é que o mesmo grupo que me levou o meu pc voltou a atacar, desta vez levando o portátil do sr. Miguel Sousa Tavares... Tudo uma questão de inéditos... :-)
Alguém acredita que estes textos vão ser publicados? (Não os meus, os do sr. dr.).

Mudança

Quando há necessidade de mudança e isso não acontece, a situação não se mante, piora.

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

João Paulo I, o Papa do sorriso*

“Os cardeais estavam indecisosentre os três candidatos assinalados: um, pela santidade, o segundo pela sua grande cultura, o terceiro pelo sentido prático. Um cardeal pôs fim à indecisão citando a vossa carta (S. Bernardo). «É inútil continuar com esta indecisão, disse, o nosso caso foi já considerado na carta número 24 do Doutor Melífluo. Basta aplicá-la e tudo decorrerá sobre esferas. O primeiro candidato é santo? Está bem, oret pró nobis, que diga alguns Pai-Nossos por nós, pobres pecadores. O segundo é sábio? Ficamos muito contentes, doceat nos, que escreva alguns livros instrutivos. O terceiro é prudente? Iste regat nos, que este nos governe e seja Papa.»”.
*in...

Sim... desde que:-)

No primeiro conclave de 78, já depois de saber quem era o papa, no fim de uma refeição um cardeal pergunta ao papa se pode fumar... ele respondeu: - "Sim, desde que o fumo seja branco:-)...

sábado, 18 de outubro de 2008

A César o que é de César...

Atenção às más interpretações que os católicos açorianos possam fazer do Evangelho dominical, dia de eleições no arquipélago... :-)

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Alvarenga

Para conhecerem melhor Alvarenga deixo-vos um endereço...
http://alvarenga-arc.blogspot.com/

Pastoralis

Este fim de semana fui até Alvarenga para iniciar o estágio pastoral que este anos será orientado pelo sr. pe. Zé miguel, meu colega de seminário 4 anos, e o sr. pe. António silveira, pároco de Cabril, Castro Daire, a menos de dez km da minha casa, que recentemente celebrou 50 anos de sacerdócio.
Não me lembro que isto tenha acontecido alguma vez, mas é muito interessante esta novidade de ter dois orientadores em duas paróquias diferentes, pois fortalece os laços entre comunidades e pastores, dando a imagem de Igreja como comunhão e de pastores unidos em presbitério.
Chegamos a Alvarenga e vemos um enorme outdoor que diz "Alvarenga, capital do mundo e do bife". Permitam-me dizer que já achei aquilo mais exagerado:-). Logo na sexta pude conhecer alguns acólitos trocando apresentações que de certa forma já conhecia de uma participação no curso de acólitos do seminário de Resende. Foram simpáticos levando até um doce para partilharmos no fim do encontro. Agradeço-lhes o acolhimento e naturalmente os bolos. no dia a seguir conheci catequistas e os miúdos... e comecei a conhecer a comunidade, diferente de todas as outras e diferente dentro de si...
Este fim de semana será mais dedicado a Cabril, mesmo que permaneça em Alvarenga a maior arte do tempo. Será esta comunidade que estará no meu horizonte e pensamento. Por ser tão perto da minha grande aldeia, já conheço as pessoas e a paróquia. Não há um programa, há objectivos... Não vai haver saltos, irá haver mudanças...
Espero nunca defraudar as expectavivas dos amigos que lá tenho e acima de tudo de Deus e daqueles que me escolheram para lá. Vamos fazer coisas boas, JUNTOS.
Dia 19, 11 horas, Eucaristia, apresentação e "lançamento de desafios"

Surpresa(s)

Será surpresa falar de surpresa? Não.. Neste mini-diário já devo ter falado muitas vezes. Os meus amigos sabem que não gosto de surpresas e quem sabe até os outros leitores deste blog já tenham dado por isso (é bem natural que não haja leitores que não sejam amigos...lol). Quando digo que não gosto, estou-me a referir às boas e más. As pessoas perderam a capacidade de surpreender. Sempre as mesmas escolhas! Não é que as boas não se devam manter... mas as menos boas tem de ser mudadas.
Eu sei que não vais mudar, que as tuas escolhas são sempre as mesmas, que para ti só faz parte um determinado mundo... mas sabes, nãohá nada mais bonitos que descobrir algo novo, totalmente novo, noutros mundos... Imagina que ninguémtinha tido a coragem dos descobrimentos...
e isto não é um gosto pela surpresa, é pela novidade...

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

A tese do coelho

A TESE DO COELHO

Era um dia lindo e ensolarado o coelho saiu de sua toca com o notebook e pôs-se a trabalhar, bem concentrado. Pouco depois passou por ali a raposa, e, viu aquele suculento coelhinho tão distraído, que chegou a salivar.
No entanto, ficou intrigada com a actividade do coelho e aproximou-se, curiosa:
- Coelhinho, o que você está fazendo aí, tão concentrado?
- Estou redigindo a minha tese de doutorado - disse o coelho, sem tirar os olhos do trabalho.
- Hummmm... e qual é o tema da sua tese?
- Ah, é uma teoria provando que os coelhos são os verdadeiros predadores naturais das raposas.
A raposa ficou indignada:
- Ora!!! Isso é ridículo!!! Nós é que somos os predadores dos coelhos!
- Absolutamente! Venha comigo à minha toca que eu mostro a minha prova experimental.
O coelho e a raposa entram na toca. Poucos instantes depois ouve-se alguns ruídos indecifráveis, alguns poucos grunhidos e depois silêncio.
Em seguida, o coelho volta, sozinho, e mais uma vez retoma os trabalhos de sua tese, como se nada tivesse acontecido.
Meia hora depois passa um lobo. Ao ver o apetitoso coelhinho, tão distraído, agradece mentalmente à cadeia alimentar por estar com o seu jantar garantido.
No entanto, o lobo também acha muito curioso um coelho trabalhando naquela concentração toda. O lobo resolve então saber do que se trata aquilo tudo, antes de devorar o coelhinho:
- Olá, jovem coelhinho! O que o faz trabalhar tão arduamente?
- Minha tese de doutorado, seu lobo. É uma teoria que venho desenvolvendo há algum tempo e que prova que nós, coelhos, somos os grandes predadores naturais de vários animais carnívoros, inclusive dos lobos.
O lobo não se conteve e farfalha de risos com a petulância do coelho.
- Ah, ah, ah, ah!!! Coelhinho! Apetitoso coelhinho! Isto é um despropósito. Nós, os lobos, é que somos os genuínos predadores naturais dos coelhos. Aliás, chega de conversa...
- Desculpe-me, mas se você quiser eu posso apresentar a minha prova experimental. Você gostaria de acompanhar-me à minha toca?
O lobo não consegue acreditar na sua boa sorte.
Ambos desaparecem toca adentro. Alguns instantes depois ouve-se uivos desesperados, ruídos de mastigação e ... silêncio. Mais uma vez o coelho retorna sozinho, impassível, e volta ao trabalho de redacção da sua tese, como se nada tivesse acontecido.
Dentro da toca do coelho vê-se uma enorme pilha de ossos ensanguentados e pelancas de diversas ex-raposas e, ao lado desta, outra pilha ainda maior de ossos e restos mortais daquilo que um dia foram lobos.
Ao centro das duas pilhas de ossos, um enorme leão, satisfeito, bem alimentado, a palitar os dentes.
MORAL DA HISTÓRIA:
1. Não importa quão absurdo é o tema de sua tese;
2. Não importa se você não tem o mínimo fundamento científico;
3. Não importa se as suas experiências nunca cheguem a provar sua teoria;
4. Não importa nem mesmo se suas ideias vão contra o mais óbvio dos conceitos lógicos...
5. O que importa é QUEM É O SEU PADRINHO.......

in site da faculdade de engenhariadaa Univ. do Porto

Parada 1 - Lamego 0

Uma cidade como lamego merecia mais! Uma aldeia como Parada, se não fosse por Mós fazer parte, não merecia tanto. Mas ganhar a Lamego nem foi assim um feito tão grande... O resultado era previsível (Lamego equipa de verdecomo o sporting de ha de anos e o parada de vermelho, cm o Braga:-) ) Vai ser engraçado ir ganhar a Lamego que certamente terá mais adeptos nas bancadas que Parada tem de habitantes. Tenho falado muito de Lamego em Parada, mas sempre que falo de Parada em Lamego ninguém conhece... assim, pode ser que ajude...

medo

Prometiam um fim de semana com um clima difícil e um ambiente complicado...
Azar, enganaram-se. O fim de semana teve muito bom e o ambiente foi promissor.
Já não acredito em determinados meteorologistas que só anunciam chuva:-)

Sempre

Fim de semana de padre...
...semana de semina
...
...
...
...
...
...

domingo, 5 de outubro de 2008

Deixa-me pensar:-)

Ontem, sábado, foi um bom dia!
Sem saudades de me levantar cedo e de passar um terço do dia em estradas lá fui até Fátima com os utentes do lar de Ferreirim e com mais três “utentes” do seminário, meus condiscípulos.
Foi muito mais que um livro que lemos neste dia e rezamos mais do que os dois terços que recitámos na viagem ou da eucaristia em que participámos. Estar, acolher, sentir aqueles homens e mulheres é aprender a ser imagem de Deus cada vez mais semelhante… Acompanhou-nos um mestre nessa área… Não havia um nome que não soubesse bem como a história por trás dele. Incansável no carinho e na boa disposição coloca aqueles seres humanos no lugar que eles merecem. Muitas vezes a resposta era apenas o esboço de um sorriso ou um blá blá mal pronunciado mas facilmente perceptível, era o seu obrigado…
Depois de estarmos com a Mãe do seu podemos passar pela Figueira para ir a praia. Gosto mesmo de mar… quem me conhecer e não imaginar a minha aldeia pensa que é uma ilha paradisíaca (no fundo é, mas é uma ilha rodeada de terra…lol)! E agora gosto ainda mais, foi neste belo ambiente que a Olímpia, uma jovem utente do lar,com 26 anos, sem pais biológicos pediu ao pai Tó Zé se podia ir a net arranjar um rapaz jeitoso até que alguém disse que estava lá eu. A miúda olhou para mim e disse :-“bem, não é jeitoso, mas se o pai Tó Zé não se importar… Foi então que se virou para mim e perguntou :-“queres-te casar comigo?” Apesar do sogro e da noiva serem simpáticos lá tive de dizer não num golpe de rara inteligência emocional!
Depois deste momento central, lá voltamos para casa tendo ainda tempo para ouvir histórias de acontecimentos de quem lá trabalha há 23 anos, mas também de quem já faz história naquela casa há oito anos. Foi bom conhecê-los… Foi bom estar com eles… vai ser bom voltar.

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

A lógica de alguns

1: - A vida dos pobres não está nada boa...
2:- E olha que a nossa também não está melhor!

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Uma interrogação...

Será que depois da febre feminista que ainda sentimos vira uma febre maxista? e que isto ate chega à religião... e se hoje há senhoras a querer ser padres.. ainda vamos ver senhores a querer ser freiras?
obrigado às manas pela inspiração

Disseram-me...

Uma figura que tenho como exemplo para a minha vida sempre que alguém queria falar com ele perguntava se ia falar dele ou de alguém. Se a conversa não fosse sobre o próprio não se realizava.
Ás vezes parece que temos necessidade de falar dos outros nem que seja para os tentar compreender. No entanto não raras vezes partimos de ideias e premissas pouco verdadeiras. Já para não falar de um certo método cada vez mais apurado de tentar usar pessoas para irem divulgando determinada ideia que por parecer segredo aumenta a sua veracidade. Gostamos de acreditar que a verdade virá sempre ao de cima mas não somos infantis ao ponto de acreditar que isso acontece tão rápido quanto queríamos.
O melhor será sempre falar com em vez de falar de…

redescoberta

É interessante conhecer alguém deficiente.
Há poucos dias esteve um pela minha aldeia. Filho de “pai solteiro” e com evidentes dificuldades mentais que em nada o diminuem, tem um dos meus primeiros nomes e a minha idade. Perguntou-me em conversa amena de café:
- És casado?
- Não…
- Não te casas?
- Não…
- (…) ?
- :-) não… gostava de ser padre!
- Ah… e eles não se casam?
- Não, não podem nem querem.
- Fogo… eu já não queria ser padre, quero-me casar, ainda me chamam maluco…
Realmente, se fossemos limitados e finitos não fazia sentido nenhum ser padre, como não faria ser cristão. Quem assim pensa não consegue perceber que alguém se esqueça de si mesmo e se entregue a Deus, ainda que tenha de amar os outros de forma tantas vezes diferente da que eles gostariam.
Obrigado amigo!
Ainda em relação aos deficientes, gostava só de lembrar que ganharam 5 medalhas de ouro nos paralimpicos de Atenas, mais do que em todas as participações olímpicas portuguesas…

domingo, 31 de agosto de 2008

Ah pois 3!

Esquece...
Não vais conseguir mudar o mundo sozinho...
Lembra-te...
Alguém tem de começar...

terça-feira, 26 de agosto de 2008

ohhhhhhhhhhhhh

Depois do sucesso inicial, o sacerdote italiano António Rungi decidiu cancelar o concurso "Miss freira" que tinha lançado em Itália. O objectivo era fazer passar a mensagem de que não são pessoas menos atractivas que optam por esta vida. o cancelamento deveu-se a insultos que lhe dirigiram na sua página pessoal e a diversas ameaças...

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Há outro pólo?

Se a amizade fosse uma coisa de números, seria possível perder. Mas como não é, talvez tudo o que seja amizade é para ganhar. Na matemática dois menos dão um mais, não é? As nossas amizades as vezes dão-nos dois menos (ou mais menos, pq não temos só um amigo). É importante saber sair e passar as coisas negativas para positivas, mas sem ser totalmente irracional… é necessário ter uma certa “inteligência emocional” e não esquecer que devemos fazer tudo para sermos amigos de todos, mas humanamente limitados sabemos que muitos nunca passarão de colegas, de conhecidos… Aprovetai para estar “numa de +”… de sentir que ser colega não é mau de todo, de cumprir… e depois chegares a noite, encontrares-te com o Deus que nunca te deixou durante o dia e sorris com Ele ao falar sobre estas coisas que para ti não podem passar de engraçadas, mesmo que magoem…

quarta-feira, 2 de julho de 2008

ah pois 2!

(um desabafo)


"Coitado de quem precisa"

Ferreira Leite

Gostei...
Apesar da obcessão pelos estudos e da possível falta da ideias concretas, nota-se que há critérios e princípios.
Valorizar a situação social mais do que a situação económica.
Casamento e para pessoas de sexo diferente, com vista à procriação, mas não se desrespeitem os homossexuais.
A sede da oposição não é a comunicação social, mas sim no parlamento.
Posição de estadista.
se não for prejudicada pela real-politik pré-eleitoral do governo PS, vencerá as próximas legislativas.

Experiências TAP

Depois da experiência de fumar a bordo, a Tap vai permitir e proporcionar (apenas num modelo, tal como aconteceu com o tabaco) as condições necessárias para usar o telemóvel. Para quando uma próxima experiência?

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Ah pois! 1

(no meio de um monte onde iria nascer uma calçada, sem o mínimo de condições alguém disse.
"se estiveres a espera de condições excelentes e não te contentares com o que tens em mãos, nuca farás nada"

As "obras"

Uma obra pode ser tanta coisa.... desde obra de arte, à construção, ou simplesmente um acto, feito, ou trabalho... é sempre um produto do espírito. Mas qd alguém diz "vou para as obras, ninguém pensa que essa pessoa vá para um conjunto de obras de arte literárias ou não, mas simplesmente, vai para uma manifestação de arquitectura e engenharia conhecida como construção civil. ainda há poucos anos dividiam-se em duas as classes presentes neste trabalho: mestres e serventes... artistas ou aprendizes. hoje há tantas classes que até mete impressão, mesmo dentro de uma área específica, como, a título de exemplo acontece com o pedreiro que pode ser de primeira, segunda e até de terceira. por aqui se vê a crescente especialização no sector e se vai desfazendo o mito de que a construção e para todos.
Mas o mais importante da construão nem sequer é o que se faz mas sim o que se aprende ao fazer. todos os dias um olhar pouco atento, distaido mesmo, como o de alguém que está de férias, conegue retirar lições de vida e se fosse do gênero escrever um livro de auto-ajuda para a vida do dia-a-dia. as vezes são evidências tão grandes que até vão custar a escrever mas prefiro correr o risco de transparecer ignorância do que o de não escrever algo que tenha sentido e que até seja interessante.
a partir de agora escreverei sobre isto com o título "Ah pois!"

quinta-feira, 26 de junho de 2008

S. José

A Igreja celebra hoje a festa litúrgica de S. josé Maria Escrivã. Na nossa diocese celebrar-se-á uma Eucaristia na Sé Catedral as 18h30m... celebramos muitas festas litúrgicas... mas a ecclesia decidiu colocar esta como notícia e a sua celebração em cada uma das dioceses... para pensar...

O que não tem preço...

O estipéndio da eucaristia vai aumentar para 10€ na nossa diocese.
Há oito anos que não era aumentado.
As despesas avolumam-se e há padres que fazem 70 km para celebrar uma eucaristia.
O preço não me parece exagerado, como gritam aqueles que não pedem para celebrar uma missa. no entanto, há padres que não praticam o valor estipulado...
Que o aumento do preço sirva para valorizar o sacramento e não para distrair atenções.
Também se podia aproveitar a oportunidade para rever a sustentação dos senhores padres... Há tantos em dificuldade...

Tu ou você?

Dizem que o você cria um certo respeito e distância entre as pessoas...
Que o tu é sinal de à-vontade e de proximidade...
Na maior parte das vezes, custa-me usar o tu para pessoas que acabei de conhecer e por um conjunto de razões... mesmo quando me pedem...
Concordo com uma espécie de relativismo ou até subjectivismo nesta questão. depende mesmo de cada um...
No entanto, há uma pessoa que tratamos por Senhor e por Tu, a proximidade e o respeito unidos... Senhor, Tu sabes quem é!

quinta-feira, 19 de junho de 2008

quarta-feira, 18 de junho de 2008

Férias? claro...

Sua Santidade vai passar cerca de 15 dias de férias num seminário de Bressanone, em Itália... nesses dias apenas terá dois actos públicos, o angelus de dia 3 e de dia 10 de Agosto. Para quando umas férias no seminário de Lamego?

Mas o que é isto???






Depois do Supremo Tribunal da Califórnia ter, há um mês, declarado inconstitucionais as leis estaduais que proíbem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, começaram, na segunda-feira, as primeiras cerimónias. Del Martin, com 87 anos, e Phyllis Lyon, de 83, que vivem juntas há 55 anos, puderam finalmente casar-se na Câmara Municipal de São Francisco

terça-feira, 15 de abril de 2008

Até breve, amigos e outros visitantes

Se eu tivesse que deixar esta terra e me fosse pedida uma palavra, como a única palavra que exprime o nosso Ideal, eu diria – com a certeza de que me compreenderiam -: “Sejam uma família”.
Há entre vocês quem esteja a sofrer por causa de provas espirituais ou mortais? Compreendam-nos como e mais do que uma mãe, iluminem-nos com a palavra ou com o exemplo. Não deixem que lhes falte, e façam até com que cresça ao seu redor, o calor da família.
Há entre vós quem sofra fisicamente? Que eles sejam os irmãos predilectos. Sofram com eles. Procurem compreender até ao fundo o seu sofrimento. Façam-nos participar dos frutos da vossa vida apostólica, a fim de que saibam que foram eles que, mais do que outros, contribuíram para esses frutos.
Há quem esteja a morrer? Imaginem que estão no lugar deles, e façam tudo aquilo que gostariam que vos fizessem, até ao último instante.
Há quem se alegre por uma conquista ou por qualquer outro motivo? Alegrem-se com ele, para que a sua consolação não seja entristecida e a alma não se feche, mas a alegria seja de todos.
Há quem esteja para fazer uma viagem? Não o deixem ir sem lhe encher o coração com uma única herança: o sentido da família, para que o leve para o seu lugar de destino.
Não coloquem nunca nenhuma actividade, seja de que tipo for, nem espiritual nem apostólica, antes do espírito de família com aqueles irmãos com quem vocês vivem.
E onde quer que forem para levar o ideal de Cristo… não poderão fazer nada de melhor do que procurar criar de modo discreto, com prudência, mas com decisão, o espírito de família. Este é um espírito humilde, deseja o bem dos outros, não se envaidece… em resumo é a caridade verdadeira, completa.
Pois, se eu tivesse de me separar de vocês, no fundo, deixaria que Jesus em mim repetisse: «Amai-vos reciprocamente… a fim de que todos sejam um».

Chiara Lubich

É com este texto que termino esta fase do diário de um miúdo. Porque por Ele vale a pena falar, também vale a pena calar. Faço-o entre lágrimas… porque ele fazia já, parte da minha vida… vou continuar a escrever, apenas não vou publicar. No dia em que senti que esta coisa sem projecto podia valer alguma coisa para ajudar alguém, por motivos pessoais, naturalmente mais fortes, faço uma pausa. Será breve ou longa? Não sei! A vida é como os carrinhos de corda, paramos, recebemos corda e depois arrancamos com muito mais força. Em dois meses recebi 3365 visitas… por trás desse número enorme estão grandes amigos que vão permanecer pois já o eram antes… se havia alguma coisa de programado, tudo falhou hoje. Não estou contente mas estou feliz… custa-me muito mais deixar de escrever, mas faço-o… A melhor despedida possível é a que Chiara apresentava em 1973…Leiam também o que diz na palavra de vida do próximo mês a que já tive acesso…
Obrigado a todos.. pelos comentários, pelos elogios, pelas críticas, por virem…
Abraço-vos com um sorriso…mesmo que a cara esteja coberta de lágrimas…
Até breve amigos, vocês fazem parte de mim… tenho-vos no coração… não essqueçais… Amai, amai, amai!

domingo, 13 de abril de 2008

A vida é...

"A vida é uma oportunidade, aproveite-a...
A vida é beleza, admire-a...
A vida é felicidade, deguste-a...
A vida é um sonho, torne-o realidade...
A vida é um desafio, enfrente-o...
A vida é um dever, cumpra-o...
A vida é um jogo, jogue-o...
A vida é preciosa, cuide dela...
A vida é uma riqueza, conserve-a...
A vida é amor, goze-o...
A vida é um mistério, descubra-o...
A vida é promessa, cumpra-a...
A vida é tristeza, supere-a...
A vida é um hino, cante-o...
A vida é uma luta, aceite-a...
A vida é aventura, arrisque-a...
A vida é alegria, mereça-a...
A vida é vida, defenda-a..."
Beata Teresa

Beata Teresa

Ganxhe Bojaxhiu nasceu em 26 de agosto de 1910, na cidede Skopie, capital da Macedônia, em uma família católica, sua mãe, Drana, era uma pessoa de intensa religiosidade. Aos 12 anos Ganxhe despertou para sua vocação religiosa. A cidade se Skopie, vivia em constate conflito com a dominação turca, em 1912 a cidade foi libertada e consegui sua independência. Mas pouco tempo deposi soferu novas invasões. Seu pai lutava contra os contra os conflitos étnicos, e sua paixão política o levou a própria morte no ano de 1919. Após a sua morte muitos problema ocorreram com a família de Ganxhe, problemas com sócio da família, fez com que a mãe de Ganxhe assumisse os gastos da família. A família vivia próxima a paróquia do Sagrado Coração e logo a mãe de Ganxhe percebeu seu gosto pelos ofícios religiosos, logo o pároco Frnajo Jambrekovic, incentivou Ganxhe a leitura de histórias missionárias. "Não Tinha completado ainda 12 anos, quando senti o desejo de ser missionária", contou mais tarde Madre Teresa. Ainda criança, Ganxhe entrou para a congregação Mariana das Filhas de Maria, e ajuda os pobres em sua própria casa. "Aos pés da Virgem de Letnice, escutei um dia o chamado Divino que me convencia de servir a Deus", disse muitos anos depois a Madre Teresa que confessou descobrir a intensidade do chamado graças "a uma grande alegria interior". Em 25 de dezembro de 1938, aos 18 anos se mudou para Rathfarnham, na Irlanda, onde se ficava o Instituto da Beata Virgem. Em 1929, após 37 dias de viagem pelo mar, Ganxhe chega em Begala, depopis viajou a Calcutè e finalmente chegou em Dajeerling, onde no seminário da Ordem estudou e em 24 de maio de 1931, escolheu o nome de Teresa, inspirada pela Santa Teresa D´Avila. "Querida mamãe, gostaria muito de estar contigo, Age e Lázaro, mas devo dizer que tua pequena Ganxhe é feliz...Esta é uma vida nova. Sou professora e gosto do trabalho. Todos aqui nos amamos muito", escreveu a sua mãe Drana, a quem nunca mais voltou a ver desde que se mudou de Skope, em 1928. Entre os 18 de 38 anos, Teresa era religiosa das damas Irlandesas na Índia e professora de história e geografia no colégio Santa Maria, único para meninas católicas em Calcutá. Logo começou a ensina no colégio de Entally,onde iam as pobres. Na Índia, colônia Britânica, havia muitas aspirações pela independência e Mahatma Gandhi pregava a não violência. Em 1937 no dia 24 de maio, Teresa professou de forma perpetua suam vocação religiosa. Começou a se dedicar a um grupo de irmãs indianas de Bengala, que seguima as regras jesuíticas, eram as Filhas de Santa Ana, elas inspiraram Teresa em seu projeto de vida missionária, O momento crucial para a sua vida que a convertia em Madre Teresa de Calcutá, deu-se de improviso. Ela mesma nos conta: "Ocorreu em 10 de setembro de 1946, durante a viagem de trem que me levava ao convento de Darjeeling para fazer os exercícios espirituais. Enquanto rezava em silêncio a nosso Senhor, adverti um chamado dentro do chamado. A mensagem era muito clara: devia deixar o convento de Loreto (em Calcutá) e entregar-me ao serviço dos pobres, vivendo entre eles". Logo iniciou sua vida como: Madre Teresa de Calcutá. Recebeu a permissão da Santa Sede para levar os moribundos das ruas para um lar onde eles pudessem morrer em paz e dignidade, também abriu um orfanato. Em 1950 fundou uma congregação religiosa, e as irmãs de caridade são mais de 4.000, espaplhadas por 95 países, e todas as nações permitiram seus trabalhos. Gradualmente, outras mulheres se uniram a ela de modo que, em 1950 recebeu a aprovação oficial do Papa Pio XII para fundar uma congregação de religiosas, as Missionárias da Caridade, que se dedicariam a servir aos mais pobres entre os pobres. O Papa João Paulo II confiou às religiosas de Madre Teresa a casa "Dom de Maria" aberta no Vaticano, ao lado do Palácio do Santo Ofício, para assistir aos mais pobres e aos moribundos da Itália. Em 1979 Madre Teresa recebeu o Prêmio Nobel da Paz por seu trabalho. A Madre Teresa de Calcutá faleceu na Sexta-feira 5 de setembro de 1997 vítima de uma parada cardíaca. Milhares de pessoas de todo o mundo se congregaram formando várias filas na Igreja de Santo Tomás para despedir-se da Madre Teresa.

sexta-feira, 11 de abril de 2008

( ) João Paulo II

Falar da vida de João Paulo II é escrever páginas e páginas e ainda não ter dito tudo (isto não é desculpa para não escrever:-)), por isso, fica um texto muito pequeno que é para todos lerem. Não se esqueçam que o texto é mesmo de Sua Santidade.

“Precisamos de Santos sem véu ou batina.
Precisamos de Santos de calças de ganga e tênis.
Precisamos de Santos que vão ao cinema, ouvem música e passeiam com os amigos.
Precisamos de Santos que coloquem Deus em primeiro lugar, mas que se "lancem" na faculdade.
Precisamos de Santos que tenham tempo todo dia para rezar e que saibam namorar na pureza e castidade, ou que consagrem sua castidade.
Precisamos de Santos modernos, santos do século XXI, com uma espiritualidade inserida no nosso tempo.
Precisamos de Santos comprometidos com os pobres e as necessárias mudanças sociais.
Precisamos de Santos que vivam no mundo, se santifiquem no mundo, que não tenham medo de viver no mundo.
Precisamos de Santos que bebam coca-cola e comam hot dog, que usem jeans, que sejam internautas, que escutem disc man.
Precisamos de Santos que amem apaixonadamente a Eucaristia e que não tenham vergonha de tomar um refrigerante ou comer uma pizza no fim-de-semana com os amigos.
Precisamos de Santos que gostem de cinema, de teatro, de música, de dança, de desporto.
Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros.
Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos".