sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

1 a 5anos? Porquê tão pouco?


Porto, 22 Fev (Lusa) - A mãe de um recém-nascido, encontrado morto quinta-feira em Gaia, confessou à polícia que estrangulou o bebé, colocando-o depois num congelador, num relato telefónico "de tal forma frontal e frio" que levou as autoridades a duvidarem do que ouviam.
A informação foi hoje dada por diversos vizinhos e confirmada à Lusa, no essencial, por uma fonte policial.
A participação do crime estava a ser feita telefonicamente à PSP por uma amiga, na presença da alegada infanticida confessa.
A amiga, devido ao grande nervosismo e em choro convulsivo, não conseguiu relatar detalhes do caso.
"Não consegues tu contar, conto eu", terá alegadamente dito a mulher, que arrancou o telefone às mãos da amiga e, segundo o testemunho desta, "com aparente frieza e sem demonstrar remorso", confirmou o estrangulamento da criança que dera à luz e a sua colocação num congelador.
"A polícia pensou tratar-se de brincadeira mas a amiga recompôs-se e confirmou", disse hoje à Lusa um dos vizinhos, que não se quis identificar.
Ainda segundo testemunhos dos vizinhos, a mulher, uma empregada de escritório de 35 anos, escondeu sempre esta gravidez, dizendo que padecia de um fibroma.
"Apesar de ser evidente que estava grávida, ela negou-o sempre, dizendo que tinha um fibroma e que já estava a ser acompanhada", disseram vizinhos à Lusa, também sob anonimato.
A mulher, casada, com três filhos (um de dois, outro de oito e um terceiro de 14) aparentava não ter problemas financeiros que dificultassem o sustento de mais uma criança.
Também não teria problemas com o marido que, segundo garantiram, fora também induzido a acreditar que a mulher não estaria grávida, tendo apenas um fibroma.
Nunca nenhum vizinho se apercebeu que enfrentasse qualquer problema do foro mental.
A empregada de escritório já tinha escondido a anterior gravidez "quase até à altura do parto", disseram os vizinhos ouvidos pela Lusa.
As desconfianças sobre a gravidez negada foram suscitadas por uma amiga, quando descobriu que a suspeita de infanticídio estava a ser acompanhava no Hospital de Gaia.
Essa amiga partilhou a desconfiança com a sogra da alegada infanticida, que, confrontada por ambas, admitiu o crime.
Nessa sequência dessa alegada confissão a amiga telefonou à polícia para relatar a situação.
Manuela Santos, a única vizinha que aceitou identificar-se perante os jornalistas, disse que "nos tempos que correm, não havia necessidade de fazer isto".
"Se não queria fazer um aborto, mandava a criança para adopção", disse.
A mulher, que foi notificada para comparecer hoje na Polícia Judiciária (PJ), para prestar depoimento, arrisca uma acusação por infanticídio, crime punível com um a cinco anos de prisão.
A alegada infanticida não foi detida porque, face ao novo Código do Processo Penal, isso só poderia ocorrer num caso de flagrante delito.
O corpo do bebé, de sexo masculino e que teria nascido na última sexta-feira, foi encontrado congelado e embrulhado num saco plástico.
No local, esteve, além da Brigada de Homicídios da Polícia Judiciária, um perito do Instituto de Medicina Legal (IML) do Porto.
PM/JGJ.
Lusa/Fim

4 comentários:

Carmen disse...

Hoje quando ouvi e vi as noticias no jornal da tarde...lembrei-me logo de ti!!E sabia que ao visitar o teu blog hoje ia encontrar uma alusão a este facto...É triste que existam mulheres com esta frieza!! Quando existem milhares de mulheres que sonham apenas em ser mães...outras há que têm a dádiva de Deus e não a aproveitam!!às vezes fico a pensar...e nestes momentos penso onde está a justiça de Deus!!!?? Fico severamente triste com estas noticias... Sou incapaz de pensar que existam pessoas capazes de estas atrocidades... Mas Deus deu-nos a liberdade...Cada um usa-a da forma que acha e pode... Só é pena que ao usarem a sua liberdade estejam a pôr em fim a liberdade dos outros....A liberdade de se ser feliz...a oportunidade de escolha!! Existem mil e um casais que desjam adoptar crianças...mas parece que é bem mais fácil estrangulá-las e congelá-las...Abandoná-las nos caixotes de lixo ao frio e à chuva...ou então fazer um aborto!! Sem comentários...não percebo como há pessoas que conseguem dormir à noite...Eu consigo!!
Desculpa andar a abusar um cadito no teu blog...prometo que vou tentar escrever menos :)
Beijinho e...desculpa

Miudo disse...

Não peças desculpa.. tenho é de agradecer...
Como é possível Deus permitir? Deus não permite, mas criou-nos livres... ás vezes penso que valia mais sermos animais, ou até fantoches, mas sei que estou errado. Somos humanos, somos livres, seremos responsáveis pelos nossos actos, bons ou maus. Se assim não fosse, não tinha sentido vivermos. Mais uma vez obrigado pelo coment. beijinhos

Carmen disse...

Mas eu digo no comentário que Deus nos deu a liberdade...
fica bem
jinho

Miudo disse...

para a próxima vou tentar ler o comentário até ao fim..lololol